ESP-Real-cartaz-web-VAC-2-45jj

http://veraoarte.com.br/2016/

vaquinha-real

 

querida comunidade,

Este ano esteve bom: estivemos em Tiradentes, Uberaba, Campinas e Presidente Prudente. Foi uma delícia o fim de semana no Galpão Gamboa, no Rio. Levamos 2 espetáculos para o Festival Palco Giratório, em Porto Alegre. Em São Paulo, fizemos uma intensa mostra de repertório e um Núcleo de Criação em Dramaturgia, no SESC Ipiranga. “Amores Sordos” esteve no Chile, na Colômbia e na Via Dupla (primeiras conquistas da Platô). Além de “O Líquido Tátil”, o Itaú Cultural recebeu nossa estreia do “Real” – um projeto que simplesmente nos arrebatou. Em BH, estivemos no VAC, fizemos espetáculo en español e apresentamos o “Dente de Leão” no gigante teatro do Cine Brasil; além de manter nosso Teatro e sua programação que Espanca! doce. O projeto Arte no Centro teve edital de ocupação, núcleos de criação, espetáculos, oficinas, performances, cinema, saraus, shows e por aí vai, em 4 meses ininterruptos. E o bonde não para.

Este foi um ano de muitas alegrias mas também de um grande baque: ficamos sabendo que uma pessoa – por meio de sua empresa que prestou serviços administrativos e financeiros para o grupo por quase 2 anos – desviou indevidamente uma quantia considerável do dinheiro que tínhamos para realizar parte de nossas atividades. Com este susto, passamos por um árduo processo de auditoria interna e regularização contábil da empresa, tivemos que fazer uma contenção máxima de gastos e ainda recorremos a um empréstimo para finalizar o ano sem paralisar nossos projetos.

Infelizmente, pela primeira vez, fomos traídos pelo princípio básico da confiança com o qual sempre trabalhamos, com todas as pessoas que convivemos. Depois de constatar esse problema nós tentamos conversar, dialogar e ouvir propostas até todas as possibilidades se esgotarem. O processo segue agora o lentíssimo tempo da justiça. Temos plena segurança jurídica do que reivindicamos e decidimos encarar esse caminho em nome da verdade. Também temos um compromisso ético com a cena cultural da cidade e queremos (devemos!) dizer que isso aconteceu. Financeiramente, o baque foi ainda pior pelo contexto em que estamos: a situação econômica está difícil e nossa área sente isso na pele, as políticas culturais da cidade, do estado e do país sofrem, não só com falta de recursos mas também com estagnação, retrocessos, falta de ousadia e criatividade. Estávamos na corda bamba – como muitxs que trabalham com cultura – e aí nos empurraram.

O susto, a tristeza e a decepção foram enormes mas demos um jeito de seguir, seguir criando outras possibilidades pra esse mundo real. Seguir significou fazer um grande empréstimo para manter as atividades do grupo – sobretudo as do Teatro Espanca! – sem interrupções. Seguimos porque contamos com muita gente que nos ouviu, nos aconselhou, nos ajudou com sua força e seu suor. Muita gente boa, gente que amamos muito.

Então decidimos contar com a solidariedade da comunidade Espanca!: amigas e amigos, famílias, pessoas que acompanham nossas peças há 11 anos, agentes que constroem o Teatro Espanca! há meia década, pedimos que vocês nos ajudem a minimizar esses estragos. Decidimos que não vamos desistir. Desistir não combina com o povo de teatro, essa gente acostumada com adversidades inimagináveis, que sabe que o impossível só se concretiza coletivamente. Desistir tampouco combina com um grupo que já aprendeu que a vida, farpa de madeira intensa, é violentamente doce. Ao longo do ano que vem, pretendemos fazer algumas ações solidárias para arrecadar uma verba que nos ajude a sair do buraco e seguir normalmente com nossas atividades programadas.

A primeira ação é a VAQUINHA REAL: uma curtíssima temporada do nosso novo trabalho em BH. Dias 19 e 20 de dezembro, no Galpão Cine Horto, as pessoas que queiram e possam nos ajudar vão assistir às primeiras apresentações do REAL em Belo Horizonte. Os ingressos serão vendidos antecipadamente através do sympla por R$50,00. Também há possibilidade de fazer uma doação de R$100,00 e levar, além da entrada, uma coleção de livros do Espanca! com os textos das 4 peças escritas pela Grace e encenadas pelo grupo. Sabemos que o preço é salgado, não praticamos esses valores normalmente, é um caso de exceção. Mas esta foi a forma que encontramos de realizar uma campanha solidária oferecendo o que temos: teatro e coletividade. Quem quiser ver o REAL e anda sem condições de nos ajudar agora, é só esperar um pouquinho: no começo do próximo ano faremos uma temporada em BH com ingressos baratinhos. Esperamos vocês!

Agradecemos imensamente aos artistas-parceiros que nos ampararam nesta tormenta: Allyson, Assis, Bel, Belilo, Gabi, Glau, Grace, Lira, Maóla, Marise, Michelle, Prof, Rays, Rê, Serginho e Xande; ao Halyson (que acompanhou o pesado dia a dia) e ao Edi (sempre presente e disponível); a Dupla (Dodô e Gomides) fiel parceira; ao Galpão Cine Horto – o mais importante espaço teatral da cidade – que plantou nossa semente e nos apoia sempre que precisamos; à Sílvia e ao Ângelo (que assumiram nossas contas em meio ao caos, nosso porto seguro); ao Breno, nosso sensível advogado; a todxs que criaram o REAL; antecipadamente a todas as pessoas que esperamos encontrar para agradecer pessoalmente lá no REAL; e a todas as outras que curtem nosso trabalho, que se solidarizam conosco, que seguem criando, lutando e fazendo outras realidades.

Muito obrigado,

Sr. Espanca!

 link para a compra de ingressos: http://www.sympla.com.br/grupoespanca

REAL

Um linchamento, um atropelamento, uma chacina policial e um movimento grevista. A mais nova criação do grupo Espanca! reúne 4 peças curtas distintas, inspiradas em acontecimentos reais que pertencem à memória recente das cidades brasileiras. Apresentadas em sequência na mesma noite, estas obras compõem uma espécie de “revista política” sobre o país. Inquérito, de Diogo Liberano, teve a direção de Gustavo Bones. O Todo E As Partes, escrito por Roberto Alvim e dirigido por Eduardo Félix, utiliza princípios do teatro de bonecos. Parada Serpentina partiu de imagens, estudos de movimentos e é fruto da criação coletiva deste elenco. Marcelo Castro é o diretor de Maré, escrito por Márcio Abreu. A direção geral do projeto é assinada por Gustavo Bones e Marcelo Castro, que integram o grupo Espanca! junto com a produtora Aline Vila Real. A equipe de criação é composta por diversos parceiros do grupo que assumem diferentes funções em cada uma das peças, que foram criadas simultaneamente. REAL estreou em São Paulo, em novembro de 2015 e fará únicas apresentações em Belo Horizonte, dias 19 e 20 de dezembro.

 

:: INQUÉRITO: pai e filhas brincam de um jogo de perguntas e respostas enquanto tentam conviver com a morte violenta da mãe que assombra a todos constantemente.

 

Texto: Diogo Liberano

Direção: Gustavo Bones

Elenco: Alexandre de Sena (Pai), Allyson Amaral (Gangue), Assis Benevenuto Vidigal (Adolescente), Gláucia Vandeveld (Fantasma), Leandro Belilo (Gangue) e Marcelo Castro (Criança)

Maquiagem: Gabriela Dominguez

 

:: O TODO E AS PARTES: um jovem é atropelado e tem seu braço amputado. A velha lei diz que o homem culpado deve ceder um de seus membros à vítima como reparação e o braço torna-se personagem central na trama.

 

Texto: Roberto Alvim

Direção, Bonecos e Trilha Sonora: Eduardo Félix

Elenco: Allyson Amaral (Manipulador), Assis Benevenuto Vidigal (Homem), Gustavo Bones (Velho) e Marcelo Castro (Jovem)

Confecção de Bonecos: Mauro de Carvalho

 

:: PARADA SERPENTINA: Quando um grupo se movimenta, corpos-lixo se amontoam e paralisam cidades maravilhosas. Toda multidão é um bololô desgovernado.

 

Provocações textuais: Byron O’Neill

Direção Coletiva

Elenco: Alexandre de Sena, Allyson Amaral, Assis Benevenuto Vidigal, Gustavo Bones, Karina Collaço, Leandro Belilo, Marcelo Castro e Michelle Sá

Música: Rafael Martini

 

:: MARÉ: Um fluxo sonoro: uma família narra, sob diferentes pontos de vista, a vida na favela onde mora.

 

Texto: Márcio Abreu

Direção: Marcelo Castro

Elenco: Alexandre de Sena (Homem), Allyson Amaral (Criança), Gláucia Vandeveld (Vó), Gustavo Bones (Criança), Karina Collaço (Criança), Leandro Belilo (Criança) e Michelle Sá (Mulher)

 

FICHA TÉCNICA:

Direção Geral: Gustavo Bones e Marcelo Castro

Coordenação de Produção: Aline Vila Real

Assistente de Produção: Halyson Félix

Cenografia: Adriano Mattos, Ivie Zappellini e Grupo Arquitetura Tradução (Ana Cecília Souza, André Victor, Jéssica de Castro, Maria Soalheiro, Rita Davis)

Iluminação: Edimar Pinto

Figurino: Gustavo Bones e Helaine Freitas

Assessoria de Comunicação: A Dupla Informação

Projeto Gráfico: Estúdio 45Jujubas

Fotos: Guto Muniz

Realização: Espanca!

Classificação: 16 anos

Duração: 120 min

*projeto selecionado pelo programa Rumos Itaú Cultural 2013-2015

 

:: VAQUINHA REAL: ajude o Espanca! e assista a estreia da peça em BH

19 e 20 de dezembro (sab 20h e dom 19h)

Duração: 120 min

Preço mínimo: R$50,00

Ingresso + Coleção de Livros Espanca!: R$100,00

http://www.sympla.com.br/grupoespanca

 

ESP-Real-cartaz-web-4-45jj (1)

ESP-Real-cartaz-web-4-45jj (1)

← antigos